Notícias


Voltar

21/01/2019Museu de Ribeirão Pires amplia acervo e itens em exposição

Por meio da Secretaria de Cultura Municipal, Prefeitura trabalha pela preservação da memória e incentiva visitação do Centro de Exposições

A história de Ribeirão Pires ganha a cada dia mais espaço nas ações desenvolvidas pelo Poder Público municipal, com a contribuição da população. Por meio de doações de documentos, imagens e objetos, o Museu Municipal da cidade – Família Pires – está ampliando seu acervo e disponibilizando aos moradores e visitantes itens que remontam importantes momentos do processo de desenvolvimento da cidade.

Na última semana, o proprietário do jornal Mais Notícias, realizou a doação de exemplar do primeiro periódico impresso do município, o "A Voz de Ribeirão Pires", publicado no dia 15 de julho de 1956.

Também na última semana, o Museu recebeu acervo do escritor e memorialista Roberto Bottacin Moreira, doado por Sílvio Pinto de Abreu, amigo de longa data do escritor e da família. Nas doações constam fotografias; objetos pessoais; documentos raros, como os boletins escolares do Grupo Escolar Américo Brasiliense e do Colégio Dr. Felício Laurito; seus livros escritos na década de 1960 sobre a fuga de nazistas para a América Latina; sua campanha contra o problema tributário enfrentado pelas olarias em Ribeirão Pires; estudos sobre a Igreja Católica e sobre o espiritismo – todos com viés crítico; e até mesmo esboços de um livro sobre física quântica e teoria da relatividade.

Roberto Bottacin Moreira nasceu em Ribeirão Pires, em 17 de novembro de 1935. Foi contador e autor de quase 20 livros, parte deles ligados à história de Ribeirão Pires e região. Bottacin foi o principal idealizador do Museu Histórico Municipal Família Pires, em 1983. Lutou pela proteção da Capela do Pilar, sendo um dos responsáveis indiretos pelo seu tombamento.

"Nossa História em Suas Mãos"

Em janeiro desse ano, como resultado da campanha "Nossa História em Suas Mãos", promovida por meio da Secretaria de Cultura da Prefeitura, o Museu também recebeu a doação de objetos com relevante valor histórico: gueixa de cerâmica, com pintura artesanal (doação de Elizeu de Andrade Rico); óculos de armação modelo fio de arame com lentes originais de vidro que pertenceram à Sra. Tereza Borsato Maggiotto (doação de seu neto, José Maggiotto); antigo manual de tricô – estimado ser da década de 1940; além de tijolos de olaria coletados pela equipe do Centro de Apoio Técnico ao Patrimônio (CATP) na antiga Vila Operária de Santa Clara. Estima-se que os tijolos sejam do início do século XX

"A campanha 'Nossa História em Suas Mãos' é de fundamental importância, uma vez que engaja a comunidade e visa conscientizar as famílias mais antigas da cidade a abrirem seus acervos particulares e contribuírem diretamente para a preservação da nossa memória. Cada item doado é uma forma de remontar a nossa trajetória", avaliou o secretário de Cultura de Ribeirão Pires, Anderson Grecco.

"Temos nos esforçado para assegurar ao munícipe o direito a um museu de caráter científico, sem perder o aspecto memorial que também é importante. Os bens do nosso acervo são fontes de pesquisa que dizem muito sobre a nossa cidade. Quando alguma pessoa doa um bem, ela está colaborando diretamente para essa finalidade científica da instituição. É assim que o museu cumpre sua função social", explicou o diretor de Patrimônio da Prefeitura, Marcílio Duarte.

Famílias tradicionais abrem seus acervos ao Museu Municipal

A Secretaria de Cultura de Ribeirão Pires, por meio do Centro de Documentação Histórica (CDH), concluiu no final de 2018 a digitalização do acervo iconográfico emprestado pela ex-primeira-dama da cidade, Norma Prisco, poucos meses antes de seu falecimento, em 2017. O acervo em questão foi devolvido à filha de Dona Norma, Ana Paula Prisco. O CDH digitalizou, ainda, os acervos dos Irmãos Maciotta, fundadores do Moinho de Trigo Fratelli Maciotta (Fábrica de Sal) e o acervo de Valentino Redivo. Ambos foram devolvidos às famílias no formato original e digital. 

Famílias antigas interessadas em emprestar material para digitalização devem procurar o CDH pelo 4825-9040 ou 4827-4598 e agendar o serviço. A única contrapartida é a doação do acervo copiado em formato digital ao CDH, sendo o físico devolvido à família.

O acervo do Museu Municipal de Ribeirão Pires pode ser visitado de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e, durante o período de férias (até 28 de fevereiro), aos sábados e domingos, das 10h às 16h. O Museu está situado dentro do Centro de Exposições e História Ricardo Nardelli – Rua Miguel Prisco, 286 – Centro. A entrada é gratuita.



Prefeitura Municipal de Ribeirão Pires